Ao falar nas famosas ilhas norte-americanas do Pacífico, imediatamente nos vem à cabeça a imagem de um belo mar e drinques tropicais. Porém, numa viagem para o Havaí há muito mais para descobrir do que praias paradisíacas... Que também existem, é claro!

 

 

 

Observação de baleias em Lahaina, Maui


Observação de baleias em Lahaina, Maui

Entre os meses de dezembro e março, gigantescas baleias finalizam uma viagem de 5.500 quilômetros desde o Alasca até o calmo canal de Auau, que se forma naturalmente entre as ilhas de Maui, Lanai e Molokai. Em frente ao litoral de Lahaina, as baleias aproveitam essa época para acasalar e ensinar aos filhotes os primeiros saltos. Embora a partir da terra seja possível avistar no horizonte suas acrobacias, a melhor pedida é  fazer um passeio de barco e ir observá-las de perto!

 



Ver o amanhecer do cume do vulcão Haleakala, em Maui


Assistir ao amanhecer do cume do vulcão Haleakala, em Maui

A mais de três mil metros de altura e logo antes do amanhecer, quase não dá para imaginar que estamos no Havaí, ou sequer no planeta terra. O Haleakala, vulcão que deu origem à ilha de  Maui, mas que está extinto há milhares de anos, tem uma forma pouco típica: mais parece uma enorme montanha do que aquele cone clássico que sempre vemos nos postais. É possível chegar até o cume de carro e ali a temperatura, antes do sol nascer, mal atinge zero grau. O espetáculo do sol nascendo acima das nuvens, numa paisagem quase lunar, é mágico. Não se esqueça de levar agasalho!

 



Fazer caminhada no litoral de Napali, em Kauai


Fazer caminhada no litoral de Napali, em Kauai

Essa região da ilha de Kauai é cativante pela sua vegetação exuberante, de um colorido quase fluorescente. Depois de passar pela pequena vila de Hanalei, a estrada ziguezagueia atravessando rios, riachos, praias e lindas paisagens. No fim da estrada, chega-se à praia de Haena, uma excelente opção para os menos aventureiros que preferem ficar por ali mesmo.

De um lado da praia nasce a trilha Kalalau, que conduz ao litoral de Napali, que se tornou bastante conhecido depois de aparecer na abertura do filme Jurassic Park. As opções para essa trilha se amoldam ao gosto do caminhante: depois de um trajeto curto, pode parar num mirante que dá para a praia de Haena ou então continuar caminhando, até decidir voltar. Os mais intrépidos levam uma barraca e acampam na praia, depois de um dia inteiro de subidas e descidas íngremes, por entre riachos e praias incríveis que só assim poderão ser descobertos. 

Mais lidas:
Manual das praias de Búzios 
Guia dos Estados Unidos 
Como é fazer turismo na Costa Rica 

 

Saltar de paraquedas na famosa North Shore de Oahu


Saltar de paraquedas na famosa North Shore de Oahu

A um quilômetro da vila de Halewa há um pequeno aeroporto cuja principal atividade é levar aventureiros em saltos de paraquedas. O aviãozinho que faz o serviço sobe a cinco ou sete mil metros de altura, conforme a escolha do participante - e ali a temperatura cai abruptamente. Furando as nuvens, ele prossegue até que o instrutor dê a ordem e aí é só dar o salto para fora do avião. 

A melhor parte, além de voar, é que a paisagem avistada entre as nuvens é maravilhosa. Durante a descida, a vista do mar e das praias rodeadas de montanhas ao fundo faz do salto um dos mais belos do mundo. 

 


Caminhar pelos campos de lavas na Ilha Grande (Big Island)


Caminhar pelos campos de lavas na Ilha Grande (Big Island)

A ilha do Havaí (homônima e por isso também conhecida por Ilha Grande ou Big Island) é a mais recente do arquipélago, a maior e, nos dias de hoje, ela continua crescendo. Seu território  aumenta vários metros quadrados por ano, uma vez que a última erupção do vulcão Kilauea foi em 1983, mas continua em atividade, arremessando lava das profundezas da Terra e cobrindo o oceano Pacífico.

Dentro do Parque Nacional dos Vulcões, o trajeto nos leva pelos campos de lava solidificada e por crateras de vulcões já extintos. No fim, a estrada é interrompida por uma maré negra: é a última e mais recente erupção do Kilauea, que arrasou um pequeno povoado e uma estrada litorânea. Caminhando pelos campos de lava solidificada, veem-se placas de sinalização de trânsito e os nomes de ruas que ficaram sepultadas. Mas da destruição, vem o esplendor da natureza. Depois de caminhar por alguns minutos  é possível ver lava circulando como se fosse um pequeno riacho. Incandescente e em meio a temperaturas escaldantes, o maior espetáculo ocorre quando visitamos a região bem ao entardecer, quando a lava resplandecente cai no oceano diante de nossos olhos e sob a luz das estrelas. 

 

Visitar os sets do seriado Lost, em Oahu


Visitar os sets do seriado Lost, em Oahu 

O acampamento da praia, as casas “dos outros” e todas aquelas paisagens da série de TV Lost existem de fato.  A filmagem foi inteiramente feita na ilha de Oahu, inclusive quando a história nos fazia acreditar que os personagens estavam em Sidney, Los Angeles ou em um deserto africano.

Os mais fanáticos até podem visitar a praia onde grande parte da história do seriado se desenrolou - uma praia em um bairro residencial - mas também podem ir até Dharmaville, o vilarejo da série, que na verdade é um acampamento da YCMA.

Há ainda passeios programados para visitar as várias paisagens mostradas em diferentes episódios da série como, por exemplo, o Kualoa Ranch, que também foi cenário de outros filmes como Jurassic Park e Godzilla.

 

Nadar com os golfinhos em Manele Bay, em Lanai


Nadar com os golfinhos em Manele Bay, em Lanai

Esta ilha atrai os visitantes pela sua tranquilidade. Lá existem apenas três hotéis e a paisagem lembra uma planície rural, já que foi outrora a localização da maior plantação particular de abacaxis do arquipélago.

 Mas a atividade que poucos conhecem e que tem a maior magia acontece nas águas da praia de Manele, pertinho de onde atraca o ferry boat que vem desde Mauí. Nadando durante o período da manhã, podemos brincar em meio a dezenas de golfinhos, que se aproximam da beirada da praia quase todos os dias.É recomendável levar máscara de snorkel e câmera fotográfica à prova d’água.

 


Percorrer a estrada que vai a Hana, em Maui


Percorrer a estrada que vai a Hana, em Maui

Hana é um povoado pequeno no Sul de Maui, uma das regiões mais úmidas da ilha. A estrada que dá acesso ao lugar é, por si só, uma viagem especial. Recortando entre as montanhas e o mar, avistam-se mais de 20 riachos com cachoeiras e quedas d’água. O passeio dura cerca de três horas, contando algumas paradas em pontos panorâmicos. Recomenda-se visitar as praias de areias negras e vermelhas que geram um estranho e incrível contraste com o azul do mar e o verde da vegetação. 

Chegando a Hana é indispensável visitar as piscinas sagradas (Seven Sacred Pools), sete cascatas em sucessão que formam piscinas até chegar à desembocadura no mar e o Bosque de Bambu, com seus troncos grossos e de grande altura. Daí, a queda é fenomenal: as águas terminam na Waikamu Falls, uma das cachoeiras mais altas do Hemisfério Norte.

 

Percorrer a famosa Costa Norte de Oahu


Percorrer a famosa Costa Norte de Oahu

Essa região litorânea é mundialmente famosa por ser o berço e a meca do surfe mundial. As pranchas pipocam junto às enormes ondas. A capital do surfe é Haleiwa, povoado que foi o centro da atividade agrícola da ilha, antes de atrair surfistas do mundo inteiro. Quase toda a atividade aqui gira em torno do esporte que é a estrela do Havaí. 

Saindo de Haleiwa, as praias famosas vão desfilando uma após a outra: Waimea Bay, Sunset Beach e Banzai Pipeline. Todas são sedes dos torneios de surfe mais importantes do mundo e nas suas praias treinam os maiores expoentes da modalidade. Muitos deles ficam instalados nas enormes mansões dos seus patrocinadores em Sunset Beach, para dedicar todo o seu tempo à prática. 

 

 

Visitar o Cânion de Waimea, em Kauai


Visitar o Cânion de Waimea, em Kauai

Conhecido como o “Grand Canyon do Pacífico”, está situado no sudoeste da ilha mais antiga do arquipélago. Com 22 quilômetros de cumprimento e 1200 metros de profundidade, esse acidente geográfico diferencia-se de seu congênere no Colorado pela vegetação característica da ilha. Devido ao maravilhoso contraste entre os paredões avermelhados e o verde das árvores que povoam as encostas, é considerado único no mundo. 

Indo de carro, pode-se parar para admirar a vista em diversos mirantes. O lugar é um verdadeiro paraíso para os adeptos da caminhada e do camping. Prosseguindo na mesma estrada, chega-se ao observatório do Vale de Kalalau, onde a vista é emocionante: veem-se escarpas de 600 metros de altura que afundam no mar azul, rodeadas por um panorama selvagem. 

 

As informações contidas nesta matéria foram editadas pela equipe de redação da Mulher Viajante com dados fornecidos pelo escritório de turismo do Havaí na América do Sul. Confie no que lê.  

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <p> <iframe>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Gmap

  • Insert Google Map macro.