Bélgica

Por: Mônica Mantecón

Castelos, excelente cerveja e deliciosos chocolates são alguns dos atrativos que a Bélgica pode proporcionar. Este minúsculo país é, em tamanho, um terço da menor capital brasileira (Vitória, Espírito Santo) e está localizado na Europa ocidental, fazendo fronteira com a França, Luxemburgo, Holanda e Alemanha.

É o centro político e administrativo da União Europeia, por estar bem no coração da Europa, e pela quantidade de organizações internacionais que possui.

Sem fronteiras visíveis, a Bélgica está, a grosso modo, dividida entre Valônia, ao sul, onde vivem os habitantes de proveniência francesa, e Fladres, ao norte, dos oriundos Países Baixos. Há também pequenas comunidades de origem alemã nos cantões do leste.

Mas na capital do país, Bruxelas, a miscelânea entre esses povos é total, pois os nomes das ruas vão alternando de francês para flamengo e o alemão sem qualquer ordem. No centro da cidade, há belas construções góticas, barrocas e art noveau. O Grand Place é a praça central de Bruxelas, onde está localizado o Grande Palácio Real, do século 15 e o belíssimo edifício gótico da Prefeitura de Bruxelas, com 96 metros de altura. Do seu ponto mais alto ergue-se a estátua dourada de São Miguel, padroeiro da cidade, testemuGrande Palácio Realnho dos grandes espetáculos de luz e música que se fazem no edifício, na época do Natal. Todos os anos pares, em agosto, é montado um belíssimo tapete de flores no centro da praça, com mais de 500 mil plantas. Grand Place foi nomeado Patrimônio Mundial pela Unesco, em 1998, e é considerada uma das praças mais lindas do mundo.

Caminhando pela rua Stoofstraat, a três minutos (se não se tentar pelas várias chocolatarias!) encontra-se a famosa fonte de Manneken Pis, a estátua em bronze do menininho fazendo xixi. Em algumas ocasiões festivas, a estátua é vestida com roupas bem divertidas! Uma dica que poucos sabem: não muito longe dali está a Jeanneken Pis, a versão feminina. A menina agachada pode ser vista enquanto você passeia pela calçada La Petit Rue des Bouchers, recheadas de restaurantes que servem moulles frites (a estranha, mas apetitosa combinação de mexilhões com batatas fritas, bem típica), escondido na pequena ruela sem saída Impasse de la Fidélité. Nessa mesma via, o Bar Delirium serve mais de 2004 rótulos de cerveja do mundo inteiro (o cardápio é uma autêntica bíblia...) tem musica ao vivo e um ambiente descolado. O térreo serve chopp, o subsolo, garrafas.

Se pretende passear no bairro das instituições europeias para ver os prédios espelhados e modernosos do Parlamento Europeu e da Comissão Europeia, dê uma paradinha na Place Jordan, uma pracinha com uma barraquinha pequena, mas que é bastante popular entre os “eurocratas” engravatados. A Maison Antoine serve as famosas frites, batatas fritas enroladas em papel, que é comida ali como uma só refeição. Opte por um ou mais das dezenas de moAtomiumlhos à sua escolha.

Deve ser incluída no roteiro a visita ao cartão postal da cidade, o Atomium, museu icônico construído para a grande Expo1958, no formato de um átomo e com 103 metros de altura. É possível comprar ingressos que incluem o passeio ao Mini Europe, um parque com miniaturas dos maiores monumentos do continente. Um sucesso entre os pequenos.

A cidade também conta com mais de 80 museus. Em destaque, o Museu Real de belas Artes, abriga mais de 20 mil obras feitas no século 15 por artistas como Hans Memling, Rogier Van der Weyden e Dirk Bouts.

Nas redondezas de Bruxelas, vale ir de trem até a cidade de Waterloo, onde os visitantes conhecem o campo onde Napoleão Bonaparte realizou sua última batalha. É possível fazer visitas guiadas no local (€55 a hora).

Ghent é a terceira maior cidade do país. Repleta de canais e de edifícios de arquitetura medieval, o município possui vários castelos, como o Gravensteen, que parece saído de um conto de fadas. Dentre as várias igrejas, a Catedral de São Bavo destaca-se, não só por seu exterior imponente, mas porque aí se encontra a famosa obra "Adoração do Cordeiro Místico", pintada em 1432, pelos irmãos Jan e Hubert van Eyck.

A Bélgica tem a maior concentração de castelos do mundo, isso porque parte de sua arquitetura medieval foi preservada. Podemos ver isso claramente na cidade de Bruges. O vilarejo medieval retratado na comédia Na Mira do Chefe, com Colin Farrell, tem diversos atrativos que não são para nada melancólicos, como o filme faz parecer. O museu Groeningemuseum abriga obras do século 15 de pintores flamengos. Diz-se que a Basílica do SaBrugesngue Sagrado tem guardada uma garrafa com sangue de Jesus. Entrando por uma ponte sobre um dos canais, está o charmoso Begijnhof, um conjunto de casas branquinhas datadas de 1245. Ali moram freiras beneditinas, que pedem silencio ao caminhar pelo parque com flores de narcisos e vielas de pedra. Se cansar do silêncio, o Sound Factory, museu interativo do som, é a pedida. Fica dentro do prédio da sala de espetáculos Concertgebouw.

A cidade de Antuérpia é famosa pela lapidação de diamantes. O Bairro Judeu e Distrito dos Diamantes é o melhor local do mundo para comprar joias com a pedra. Os 15 mil judeus que vivem na região dominam a indústria, e há quem diga que metade dos diamantes do mundo sai de lá. Se dizem que os diamantes são os melhores amigos das mulheres, então a Antuérpia é amicíssima: a cidade abriga o Momu, o museu que retrata a história da moda e do design, com aproximadamente 25 mil peças de roupas que datam desde o século 16 até os estilistas contemporâneos.

As viajantes que apreciam boa comida não podem deixar de experimentar os atrativos gastronômicos da Bélgica. Além das mencionadas frites e moules frites, há um outro motivo para fugir da dieta na Bélgica: os waffles. Há dois tipos: o tradicional de Bruxelas, retangular, dourado, com diferentes coberturas e o mais famoso, o de Liège, amarelo-ouro, de textura mais densa e com açúcar queimado por cima.

A gula só fica satisfeita depois de provar os chocolates belgas, considerados um dos melhores do mundo, pois usam o cacau maciço em detrimento de outras substâncias. O país produz aproximadamente 172 mil toneladas de chocolates por ano. Os pralinés, bombons com casca de chocolate e recheio de amêndoas, são tradicionais iguarias belgas. As chocolatarias mais conhecidas são a Neuhaus, a Leônidas, a Guylian, a Côte d’Or, a Callebaut e a Godiva, mas não deixe de provar os bombons caseiros e requintados de casas como Wittamer e Pierre NeuhausMarcolini.

Para matar a sede, há aproximadamente 450 tipos de cerveja Belga, que é tradição no país desde a idade média. Muitas delas são servidas em copos personalizados e com sabores como framboesa, chocolate e cereja. As mais típicas, contudo, são a cerveja branca (blanche), a marrom trapista (trappiste), feitas por monges da Ordem Trapista, a geuze e a prestigiada lambic, que é produzida com uma técnica antiga da fermentação espontânea.

Para circular na Bélgica e entre os países europeus mais próximos, utilize o trem, a maneira mais fácil e barata de se locomover. A companhia NMBS/SNCB faz toda a rota do transporte ferroviário. O ônibus também é uma ótima opção, pois sua rede também liga municípios e países. Os sites das companhias Tec (em inglês e os idiomas do país) e Kusttram (apenas em flamengo) ajudam a planejar a sua viagem, mostrando as rotas e os meios de transporte adequados. Há também a opção de ir de bicicleta. O país conta com ciclovias que ligam cidades e centros históricos. Vale a pena ir pedalando.

Não há voos diretos do Brasil para a Bélgica. Mas as companhias KLM, Alitalia, British Airways, Air France e Iberia têm voos com escalas na Holanda, Itália, França e Inglaterra que vão até o aeroporto de Bruxelas.

Fotos: Bruges (primeira imagem). Grande Palácio Real (segunda foto, à direita), Atomium (terceira foto, à esquerda). Bruges (quarta imagem, à direita). Chocolate Neuhaus (última foto, à esquerda).

População: 10,5 milhões de habitantes

Capital: Bruxelas

Moeda: euro €

Idioma: flamengo, francês e alemão

Fuso horário: +3h em relação a Brasília no inverno do hemisfério norte e +5 no verão

Clima: temperado. As temperaturas variam de 4 °C no inverno a 22 °C no verão. O guarda-chuva é essencial, já que ao longo de todo o ano pode ocorrer precipitação leve.

Visto para turismo: não é necessário se a estadia for de até 90 dias, mas vigora o Tratado Schengen

Vacina: Não é necessária

Emergência: polícia 101, ambulância e bombeiros 100 – Consulado Brasileiro em Bruxelas: Avenue Louise, 350-1050, Tel.: 02/6263460

Feriados: Ano Novo (1 de janeiro), Dia do trabalhador (1 de maio), Ascensão (9 de maio), Festa Nacional (21 de julho), Dia de todos os santos (1 de novembro) e feriados cristãos
   

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <p> <iframe>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Gmap

  • Insert Google Map macro.