Seattle

Por: Natasha Sá Osório

Ela fica longe de tudo: oposta à Flórida no mapa dos Estados Unidos, a quase quatro mil quilômetros de Nova York e a 20 horas de carro de Los Angeles. Está mais próxima de Vancouver, no Canadá (de onde muita gente vem aproveitar suas atrações e fazer compras) do que das grandes cidades americanas. Ainda assim, Seattle se tornou nos últimos anos um destino turístico tentador para viajantes do mundo todo, sobretudo para quem curte música, tecnologia e cultura. Os astros da música Jimi Hendrix e Kurt Cobain eram de lá. Os jatos da Boeing são produzidos na cidade (e dá para visitar o gigantesco museu anexo à fábrica). Sua posição geográfica é única, com uma vista deslumbrante para o sempre nevado monte Rainier, um vulcão de 4.394 metros de altura. A metrópole é famosa pela torre de observação Space Needle e pelo seu clima peculiar, com uma chuvinha fina típica.

Qualquer visita a Seattle deve começar por Kerry Park, um parque encravado nas colinas do bairro de Queen Anne. A vista panorâmica a partir de seus mirantes permite “entender” a cidade. Aos pés do parque descortina-se um emaranhado de arranha-céus, emoldurado pelas paisagens naturais que rodeiam a região urbana, sobretudo a Baía de Elliot. Kerry Park é um lugar tão especial que serviu de cenário para o sucesso de Hollywood 10 Coisas que Eu Odeio em Você, estrelado em 1999 pelo vencedor do Oscar póstumo, Heath Ledger.

Lá embaixo, duas construções se destacam. O Columbia Center é um complexo de lojas e escritórios de 76 andares, aberto ao público. Todos os anos ele vira notícia durante uma curiosa competição: a Scott Firefighter Stairclimb, disputa entre mais de 1.500 bombeiros de diversos países para ver quem sobe mais rápido seus 1.311 degraus – carregando os equipamentos de combate a incêndios. É a maior “corrida” do gênero no planeta.

A atração mais célebre do centro, no entanto, é a Space Needle, que completou 50 anos em 2012. Com sua cúpula em forma de disco voador, a torre de observação de 184 metros de altura (equivalente a 61 andares) encanta a todos. O mirante com visão de 360° abriga um elegante restaurante giratório, o Sky City (veja mais informações na seção COMER, ao fundo da página).

A torre ocupa um pedaço do Seattle Center, um parque com 300 mil metros quadrados dedicados a eventos culturais diversos, onde também há lojas, restaurantes e jardins repletos de belas fontes. Entre as atrações mais disputadas pelos turistas está o Pacific Science Center, que chama atenção devido aos arcos gigantes que o enfeitam. Além das mostrasexperience music project científicas interativas e do planetário, ele conta com duas salas de cinema IMAX e um viveiro de borboletas tropicais.

Nada no Seattle Center, porém, se compara ao Experience Music Project, anfiteatro projetado de maneira muito peculiar: no formato de uma guitarra quebrada (veja mais informações na seção FAZER, ao fundo da página).

Por US$ 2.25 dá para experimentar o rapidíssimo monotrilho que perfaz os dois quilômetros desde o Seattle Center até o coração da cidade, em apenas 90 segundos. Essa, vale dizer, é a tarifa também dos ônibus e trens em toda a cidade (exceto no horário de pico, quando sobe para US$ 2.50).

Além de compreender boa parte das atrações turísticas, essa é a região onde há menos vagas para estacionar, o que torna desaconselhável alugar carro – deixe para fazer isso nos dias em que decidir ir para fora da cidade, por exemplo, se quiser fazer compras no Seattle Premium Outlets, que fica no município vizinho de Tulalip, a 54 quilômetros do centro.

Em downtown, o destino é certo: o centenário mercado Pike Place, onde 190 artesãos e mais de 100 produtores de alimentos vendem suas mercadorias diretamente ao consumidor. São flores, frutas, loções e poções, suvenires e artesanato em geral.

O local é internacionalmente famoso por um costume para lá de curioso. Para chamar a atenção dos compradores, os vendedores de pescado arremessam os maiores peixes (aqueles bem grandes mesmo) uns para os outros, a muitos metros de distância e com a devida “gritaria”. Um divertido espetáculo de agilidade, força, pontaria e bom humor – às vezes trocam o peixe de verdade por um de brinquedo, feito de espuma, e o atiram “sem querer” em cima de algum turista desavisado. Depois caem na gargalhada...

Animando as compras dos 10 milhões de visitantes anuais, cerca de 240 artistas de rua e músicos se espalham pelo mercado, contribuindo para o ambiente de festa. O lugar tem até uma “mascote”: Rachel, uma versão gigante dos cofrinhos em forma de porco, moldada com 250 quilos de bronze pela artista local Georgia Gerber. As doações à “porquinha” são revertidas para as causas de ajuda social da fundação do mercado, e hoje ela tem até um “primo”, o Billie the Piggy Bank, localizado na Western Avenue.

museu de arte de seattleUm detalhe: à saída do Pike Place há uma loja Starbucks, mas não se trata de uma filial qualquer. Essa é a pioneira, aberta em 1971, quando nem se sonhava que o negócio daria origem a uma rede mundial de cafeterias.

Do lado de fora, a Pine Street revela lojas de departamentos de alto padrão, como a Nordstrom, assim como os sedutores shopping centers Pacific Place e Westlake Center. Um oportuno contraponto à enxurrada de atrações culturais da metrópole, que segue conforme se desvenda a região central. Na 1st Avenue, por exemplo, o Museu de Arte de Seattle é uma agradável surpresa. Não vai ser difícil encontrá-lo, já que logo na frente uma escultura de ferro, representando um trabalhador, deixa todos boquiabertos: é a Hammering Man, com 15 metros de altura. No interior, há desde pinturas de mestres europeus do século 20 até obras polêmicas, como o fúnebre caixão em forma de Mercedes Benz do escultor ganense Kane Quaye.

Cinco minutos de caminhada separam o museu da Pioneer Square, uma praça considerada o coração histórico de Seattle. Apesar de ter sido totalmente devastada no chamado “Grande Incêndio” de 1889, ela foi reconstruída e manteve seus edifícios em estilo romântico e neogótico, típicos do século 19. Nos dias de hoje, está rodeada de restaurantes com comida de todos os cantos do mundo, boutiques descoladas, cafés, galerias de arte, bares e casas noturnas. No meio da praça ergue-se um memorial aos falecidos no Grande Incêndio e há anexo um museu dedicado aos bombeiros.

Mas há mais:
Descubra os pontos turísticos que celebram a música e a arte, passeios inusitados que proporcionam experiências únicas e o que fazer com crianças em Seattle


EMBAIXO, LEIA NOSSO GUIA DE HOTÉIS, ATRAÇÕES E RESTAURANTES RECOMENDADOS.

População: 3,5 milhões de habitantes

Fuso horário: -5h em relação ao horário de Brasília durante o inverno do hemisfério sul e -6h durante o verão

Clima: Seattle é uma cidade chuvosa, com céu nublado em muitos dias ao longo do ano. No inverno, as temperaturas rondam os 2 °C; no verão ficam em torno de 24 °C

Dica esperta: o Seattle CityPass é um passe que permite visitar cinco atrações turísticas em nove dias, com desconto em relação ao preço individual de cada uma. Pode ser comprado online por US$ 64, e crianças de 4 a 12 anos pagam US$ 44. Jovens de 13 a 19 anos têm outra opção: o TeenTix, que dá acesso a vários museus por apenas US$ 5

Companhias aéreas que ligam as principais capitais do Brasil a Seattle: Delta Air Lines, United Airlines e American Airlines (todos com escala)

Columbia Center
É o maior arranha-céu do estado de Washington, com vistas panorâmicas no último andar. De segunda a sábado, das 10h às 18h; sextas e sábados, das 10h às 22h. Entrada: US$ 9.
701 Fifth Avenue

Space Needle
Mirante-símbolo da cidade, com vistas de 360°, tem sala de exibições no térreo. Diariamente, das 9h às 23h. Entrada: US$ 11.
400 Broad St, dentro do Seattle Center

Experience Music Project  
Museu em forma de guitarra dedicado à música, com sala de concertos. Obra de ninguém menos que o excêntrico arquiteto Frank Gehry (o mesmo que construiu o museu Guggenheim, na Espanha). Seu interior consegue ser ainda mais impressionante, com um imenso acervo relacionado à música. Tem excelentes exibições, como a mostra fotográfica dos Rolling Stones, a que homenageia a vida de Jimi Hendrix e a exposição itinerante de objetos que pertenceram aos roqueiros do Nirvana. Também há estúdios de gravação onde os visitantes podem tocar instrumentos e uma sala de concertos com o maior telão de LED do mundo. Diariamente, das 10h às 17h. Entrada: US$ 20. Há descontos para compras feitas pelo site.
325 5th Avenue N, dentro do Seattle Center

Pacific Science Center 
Grande complexo com exibições relacionadas às ciências. Oferece salas de cinema IMAX e um planetário, entre outras atrações. Diariamente, das 10h às 17h; sábados e domingos, até às 18h. Entrada: US$ 18; crianças (de 3 a 15) a partir de US$ 10; free para menores de 3. Preços para as salas IMAX e o planetário variam; consulte o site.
200 Second Avenue North, dentro do Seattle Center

Mercado Pike Place
Mercado centenário de produtores e artesãos. Diariamente, das 9h às 18h; domingos, até as 17h. Entrada gratuita.
First Avenue com Pike Street

Seattle Art Museum  
Um dos principais museus de arte do país. De quarta a domingo, das 10h às 17h; quintas e sextas, das 10h às 21h. Entrada: US$ 19.50; estudantes US$ 12.50; menores de 12 anos entram de graça.
1300 First Avenue

Last Resort Fire Department Museum  
Museu que mostra a atividade dos bombeiros. Quartas e quintas, das 11h às 15h; no inverno, só abre às quartas. Entrada gratuita.
301 2nd Avenue South

 

BOAS COMPRAS

Pacific Place  
Shopping com serviço de concierge e lojas como Victoria’s Secret, Body Shop e Guess. De segunda a sábado, das 10h às 21h; domingos, das 11h às 19h.
600 Pine Street

Nordstrom Downtown  
Loja de departamento de alto padrão. Tem as marcas Topshop e Topman. De segunda a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 10h às 19h.
500 Pine Street

Westlake Center  
Neste shopping, os turistas têm direito ao cartão de descontos Premier Passport Savings Sheet. De segunda a sábado, das 10h às 20h; domingos, das 11h às 18h.
400 Pine Street

Fremont Vintage Hall 
Vende produtos vintage de segunda mão, que vão desde objetos de decoração até roupas e livros. Diariamente, das 11h às 19h; domingos, das 11h às 18h.
3419 Fremont Place North

Seattle Premium Outlets
Unidade da famosa rede de outlets, com 110 lojas de ponta de estoque. De segunda a sábado, das 10h às 21h; domingos, das 10h às 19h.
10600 Quil Ceda Blvd., Tulalip, a 54 quilômetros de Seattle

$ = até US$ 30  |  $$ = US$ 30 a US$ 80  |  $$$ = acima de US$ 80
Por refeição simples, uma pessoa.

Starbucks
Loja original da rede de cafés mais conhecida do mundo. Diariamente, das 6h30 às 19h30. Cc: aceita. $
1912 Pike Place

Pike Place Chowder  
Restaurante bem simples, vencedor de prêmios de gastronomia e famoso pelos ensopados de peixe e frutos do mar. Diariamente, das 11h às 17h. Cc: aceita. $
1530 Post Alley, Pike Place Market

Zig Zag Cafe
Restaurante descolado, com um bar especializado em coquetéis e menu que vai da culinária italiana aos frutos do mar locais. Diariamente, das 17h às 2h. Cc: aceita. $$
1501 Western Ave

SkyCity   
Restaurante giratório com vista panorâmica do Space Needle. Especializado em frutos do mar e famoso pela sua sobremesa Lunar Orbiter, feita com morangos numa calda borbulhante, que exala uma nuvem de gelo-seco, como se fosse uma nave espacial – um must entre a criançada. Diariamente, das 17h às 20h45; sextas e sábados, das 17h às 21h45. Almoço/brunch: de segunda a sexta, das 11h30 às 14h; sábados e domingos, das 10h às 14h45. Cc: aceita. $$
400 Broad St, dentro do Seattle Center

Ace Hotel
Com quartos espaçosos, tem fácil acesso para diversas atrações turísticas na região central. Diárias a partir de US$ 109.
2426 First Avenue

Inn at the Market
Hotel quarto estrelas em frente ao mercado Pike Place. Alguns quartos têm vista para a Baía de Elliott. Diárias a partir de US$ 189.
86 Pine Street

Four Seasons Hotel Seattle  
Tem spa, piscina com borda infinita, banheira de hidromassagem externa e terraço com vista para a baía. Diárias a partir de US$ 315.
99 Union Street

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <p> <iframe>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Gmap

  • Insert Google Map macro.